Para meu pequeno Gael

35 semanas que a vida em mim é dupla, dois corações, duas almas, duas forças, inteiramente duplicada! E como é bom!!!

Filho, serei eternamente grata pela evolução, pela transformação. Somos sortudos. Eu, por ter sido escolhida ser tua mãe. Você, por ter uma mãe entregue. Na humildade que posso ter, reconheço essa minha condição de estar/ser entregue a você, ao nosso laço, à vida que estamos por começar juntos (eu, você e seu pai), à nossa maneira de ser…

Estou aqui, te sentindo remexer dentro de mim, tanta força que tu tens, filho!!! Parece até que a qualquer momento irás romper minha pele! risos

Agradeço por toda essa tua força. Nosso [re]nascimento se aproxima e iremos precisar dela! Da sua e da minha, da nossa, juntos mais uma vez.

Falta pouco tempo, eu sei… Pra te carregar nos braços, sentir teu cheirinho, ter tua mão a me tocar, tua voz, teu olhar. Ahhhhhh, mal posso esperar!!

Todos os desconfortos, as dores, as flutuações de humor, tudo será pura nostalgia quando já estiveres grande a desbravar esse mundão lindo que te espera! Espero te criar um homem bom, filho. Íntegro, justo, humilde, cheio de amor e tolerância. Espero te olhar velhinha e ter plena felicidade de ter plantado uma semente do bem nesse mundo que anda tão precisado…

A ansiedade é tamanha!!! Teu pai não fala de outra coisa, és nosso principal [se não o único] assunto! Cada movimento deu dentro do meu ventre é uma alegria, é comemorado, é motivo de crises de riso minha e do teu papi, por mais que tu acertes a minha costela de vez em quando. hehehe

Agora mesmo enquanto escrevo essas linhas, tu estás a remexer aqui dentro, brincando com o teu universo que é o interior do meu Ser, que te abriga com tanto afinco, carinho e amor. Acho que deves brincar de pula corda com o cordão umbilical, fico imaginando tu explorando esse espaço que já tá ficando pequeno pra ti né, filho?

Calma, daqui a pouco terás outro universo a explorar, muito maior do que meu ventre. Talvez não seja tão amigável, talvez não te receba com tanto amor como eu te dei no meu ser, mas ele será resultado do que carregas dentro de ti, filho. E, não sei como, tenho a certeza de que o universo que carregas em ti é puro, lindo e repleto de sentimentos bons.

O mundo é lindo, filho. Temos que ser gratos pela Mãe Natureza todos os dias. Tantos lugares bonitos a conhecer, tantas pessoas puras, tantos animais engraçadinhos, todos eles emanando o mais puro Amor Divino, aquele que todos nascemos carregando e, que por algum motivo, alguns deixam cair pelo caminho…

Mas tu não né, filho? Te agarra nesse Amor Divino que carregas em ti. Na tua pureza. Não tenhas nunca vergonha dela. Ela é uma relíquia que poucos conseguem manter.

Poderia te alertar aos males desse mundo, das pessoas má intencionadas, dos que plantam a guerra… Mas não, filho. Esse mundo precisa que falemos do Bem, do Amor, das coisas bonitas que valem a pena serem contempladas. Te peço para valorizá-las, mais do que qualquer penar. O amor é sempre o melhor caminho.

Estamos aqui, filho. A te esperar. Vamos desvendar esse mundo juntos, de mãos dadas, até que estejas pronto para voar e desvendá-lo sozinho.

Nosso caminho será doce.

Te amo.

~ e do lado de fora dos olhos… ~

Eis o fetiche do tempo
A corrida, faminta, incessante das horas
Lembrando quem adianta os instantes
Mutantes das histórias, das intenções
Sem ponteiros denotam o redor dos eternos agoras
Sempre correndo atrás do que nunca demora
Foi-se embora sem satisfação

Um roteiro certeiro
Panorama no espelho
Janela de onde tudo vejo
Já vi esse filme inteiro

No silêncio, me encontro.
Num mergulho inebriante em mim mesma, desvendo meus labirintos, adentro as curvas do meu Ser, cada artéria que pulsa Luz
Me permito silenciar e no silêncio descubro uma imensidão de mim mesma
De mim, comigo, para mim
Desdobro e me vejo cercada de Luz branca, como se pulsasse eletricidade
Me embalo num permitir sem fim, sem me limitar, vivendo no Sagrado Agora
Cada vez mais atenta de mim, dos meus ciclos
Cada vez mais minha
Cada vez mais liberta
Cada vez mais Eu.

Reconheço o poder gerador que carrego no ventre.
O saúdo, o honro e faço desta bênção o melhor que posso.
Transmito paz pelo olhar,
Serenidade nas palavras,
Luz atravessam os poros,
Porque me reconheço como parte do Divino,
Representante do poder de Gaia.
E caminho junto, lado a lado, com irmãos e irmãs
No intuito maior de promover a Paz.
A Nova Era que chega
E que necessita de nosso equilíbrio.
Propago a igualdade e a comum união que mora em todos nós
O sorriso leva a felicidade de Ser
E o desejo de que todos, em todos os lugares, sejam felizes.
Eu te saúdo. _/\_

Nutrir para florir

Gerar uma vida é coisa séria. Ter em si dois corações batentes, dois seres, dois corpos, duas almas.

É se tranquilizar em cada pensamento, filtrar seus próprios sentimentos para não afetar aquele que cresce aconchegado no ventre.

É ter um turbilhão de emoções e sensações maravilhosas, e outras nem tanto.

É um processo profundamente transformador a quem se permite.

É se preparar, corpo e alma, pra receber o milagre da Vida, com sorriso e lágrimas ao mesmo tempo.

Gerar um filho é gerar um novo Eu, uma nova mulher que nasce a cada dia, com novas experiências e vivências.

É ter a certeza que nada, nunca mais, será a mesma coisa vista sob a mesma óptica.

É carregar em si a mudança diária e sentir prazer com  isso. Se permitir ser mutante.

É saber se tornar forte, incisiva, leoa que ruge por suas vontades e decisões.

É se conectar com Gaia no mais profundo nível, bem como com todas as mulheres e seres deste plano, é entender e abraçar a irmandade que existe entre todos os seres de todas as espécies.

E neste eterno modificar, mergulhar fundo com a plena paz no coração, com o Amor incondicional que brota cada vez mais forte a cada mexida, a cada chute…

Mergulhar nesse oceano do Sentir, da Plenitude do Amar, da Entrega, da Calmaria, da Conexão com o poder gerador da Vida…

yogababy

Agradeço! Agradeço!

Colorir, aumentar as vibrações, sorrir pra Vida!

 

“Um pedaço de arco-íris para enfeitar teu corpo

Vinte mil raios de Sol para pôr no teu cabelo

Água da chuva pra beber”